20.6.10

Desolação

"Nas linhas das palmas das tuas mãos
foi escrito o destino do sol

Nasce,
ergue a tua mão -

a longa noite está a sufocar-me."

Partaw Naderi

11.6.10

Permitam que o Amor flua

"O que acontece se vocês têm um pai fraco ou que foi ferido de um modo ou de outro, isto impede a sua mãe interior de estar no papel feminino e no papel de mãe, e ela tem que compensar pelo pai e, portanto, uma vez que ela tenha compensado pelo pai, ela não é mais a mãe? Ela está no papel do pai. É muito importante dentro de vocês, em seu mundo interior, que vocês criem um mundo onde o seu pai seja suave e gentil, amoroso, poderoso e destemido. Esta é a verdadeira natureza da masculinidade e esta é a verdadeira natureza da paternidade. Nós usamos a analogia do rio para descrever isto, a masculinidade para as margens do rio ou a energia do pai e a água que flui no rio, é o feminino. Tudo o que as margens do rio fazem, é guiar o feminino em sua jornada de volta para o mar."
Kryon, canalizado por David Brown

16.4.10

Brahmâ

"3. Quando o Um se converte em Dois, aparece o Triplo, e os Três são Um; é o nosso Fio, ó Lanu! o Coração do Homem-Planta, chamado Saptaparma.

Quando o Um se converte em Dois, o Triplo aparece; isto é, quando o Um Eterno deixa cair o seu reflexo na região da Manifestação, este reflexo, o Raio, diferencia a Água do Espaço; ou, usando as palavras do Livro dos Mortos: 'O Caos cessa ao influxo do Raio Fulgente de Luz Primordial, que dissipa toda a escuridão com o auxílio do grande poder mágico do Verbo do Sol (Central).' O Caos torna-se andrógino; a Água é incubada pela Luz, e o Ser Trino dela exsurge como o Primogénito."

Helena Blavatsky, Idem

13.4.10

A Doutrina Secreta

"Mistério é tudo aquilo que é capaz de desenvolver algo que aí se acha apenas em estado de germe. Uma semente é o Mistério de uma planta, o ovo é o de um pássaro"
Paracelso

"(...) a matéria é o veículo para a transformação. (...) Havendo sido dotada com o germe do que virá a ser"
Hermes

A mesma palavra em grego significa nascer e vir a ser

(Cosmogênese, Helena Blavatsky)

18.12.09

Emerson, filho do Mar

"Deixai um homem aprender a procurar o permanente no efémero; deixai-o aprender que está aqui, não para agir, mas para ser agido e que, apesar de um abismo se abrir sobre outro, todos estão, em definitivo, contidos na Causa Eterna.

A nossa vida é como o tempo de Março, simultaneamente selvagem e serena.

Cada homem é uma impossibilidade até à sua nascença, cada coisa é impossível até vermos o seu sucesso.

Vejo, tal como sou; qualquer que seja a linguagem que utilizemos, nunca poderemos dizer outra coisa a não ser o que somos

Sei que o mundo com que converso na cidade e nas quintas não é o mundo que penso.

É preciso muito tempo para comer, dormir ou ganhar cem dólares e muito pouco tempo para alimentar uma esperança e uma visão que se tornem a luz da nossa vida."

Uma gota de sangue, humana e rubra
Pesa mais do que o mar que vocifera.
O mundo em seus enganos vem e vai
Mas o amante tem raízes, e espera.
Pensei que para sempre ele partira,
Passaram tantos anos, roda infinda.
Mas como sempre desponta o dia novo,
Eis que uma intacta doçura brilha ainda.
E cantou meu coração, já libertado
Dos cuidados em que antes se perdia:
Amigo, só por ti a rosa é púrpura,
Só tu susténs a cúpula do dia.
Tudo ganha por ti mais nobre forma,
Tudo pousa além-terra seu olhar,
Em ti a velha mó do fado nosso
Se transfigura em trilho solar.
Aprendi a dominar meu desespero
Ao ver tua nobreza - tão apenas.
E as fontes da minha vida oculta
Correm, por ti, amigo, mais serenas.


"Ainda há uma vitória para toda a justiça, e o romance verdadeiro para cuja realização o mundo existe será a transformação do génio em poder prático.

Temos de ser de nós mesmos antes de podermos ser de outrem.

Nunca pode haver funda paz entre dois espíritos, nunca mútuo respeito, a menos que no seu convívio cada um equivalha ao mundo todo.

Persistindo em teu caminho, embora percas o que é pouco, ganharás o que é muito."

Ralph W. Emerson, A Confiança em Si, A Natureza e Outros Ensaios

13.12.09

Leão de Fogo

"Todavia, um dos anciãos me disse: Não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a raiz de David, venceu para abrir o livro e os seus sete selos."
Apocalipse 5:4-6

18.10.09

Ver para Ser

O verdadeiro dever é ver.

6.10.09

Canción con Todos



Gracias a la Vida que me ha dado tanto
me ha dado la risa y me ha dado el llanto,
asi yo distingo dicha de quebranto
los dos materiales que forman mi canto
y el canto de ustedes que es el mismo canto
y el canto de todos que es mi propio canto


28.9.09

22.9.09

Parole Parole

Parolos os que apenas vêem parole (palavras em italiano).

Ouvir é esquecer, Ver é recordar, Fazer é compreender

Provérbio Chinês

Ser (luz) é compreender,
conter... o som.

18.9.09

o som é luz na escuridão

14 bis

e o dia é apenas essa mesma escuridão, iluminada.

15.9.09

O Amor é forte como a Morte

Dora Ferreira da Silva



Lonely rivers flow,
to the sea, to the sea
To the open arms of the sea
Lonely rivers cry,
wait for me, wait for me
I´ll be coming home

12.9.09

Gaiavoa

Se uma gaivota viesse
trazer-me o céu de Lisboa...
o teu olhar derradeiro.


Quem me dera ser gaivota,
a gaivota que sou.

Uma gaivota voava, voava,
asas de vento,
coração de mar.
Como ela, somos livres,
somos livres de voar.

28.8.09

Sagrada Transparência

O que faz ela ser quase um segredo
É ser ela assim, tão transparente


Ivan Lins

26.8.09

Marinheiro Sol

Eu não sou daqui
Marinheiro só
Eu não tenho amor
Marinheiro só
Eu sou da Bahia
Marinheiro só
De São Salvador
Marinheiro só


Caetano Veloso

7.8.09

Luz del Fuego

meu sangue, português
minha pele, brasileira
meu silêncio, p
minha voz, b
minha noite, p
meu dia, b

minha saudade, p
meu amor, b

Aime pb
I am pb

6.8.09

Um pouco mais de sol - eu era brasa

Mário de Sá-Carneiro

Um pouco mais de sul - eu era brasil
Portugal

28.7.09

Mercury 44º



É lá lá lá lá...
é Sal é Sol é Sul

9.7.09

O Fabuloso Destino... chamado Brasil



Ô, eu si vou, não vouto!

3.7.09

2.7.09

Do Tempo Perdido II

... até que a perda seja total:

1.7.09

Do Tempo Perdido

Perder tempo? Oh, mas é sempre o tempo que nos perde a nós...

28.6.09

Chegar

«Nós estamos aqui para fugir,
nós estamos aqui para chegar de vez.»
Vasco Gato (num túnel de Belém, Lisboa)

Salva-me

Não sei lutar contra mim, não sei amar-me.
Salva-me... de mim.
Deixa amar-te-me.

21.6.09

Want&Need

Quando se Ama, querer e precisar viram um só.
O ser volta ao que é. Uno.

12.6.09

Matrimónio

Uma das maiores infelicidades cometidas pelo homem a si mesmo é ceder o lugar do matrimónio ao património - o trono: só que o nosso lugar é sempre a mãe-terra - do amor.

De que nos valem os monumentos sem o vivo amor entre nós?
Ahh, sim! mil vezes antes o devastador terramoto dos corações apaixonados!
Mil vezes antes viver simplesmente (a)o ar livre de amar!

Caiam! Caiam todos os patrimónios que se perderam irremediavelmente da sua origem: do matrimónio.
Caiam de novo à terra, ao menos. E deixem viver em pé quem pela terra ainda vive!
Quem vive do coração em chamas de eterno amor.

Vivas ao Santo António! Ao Santo Matrimónio!

5.6.09

O Valor da Vida

«[para o fim da crise:] acabar com o dinheiro»
Manoel de Oliveira (em entrevista ontem à RTP1)

«Artigo XII

Fica decretado que o dinheiro
não poderá nunca mais comprar
o sol das manhãs vindouras.
Expulso do grande baú do medo,
o dinheiro se transformará em uma espada fraternal
para defender o direito de cantar
e a festa do dia que chegou.»
Thiago de Mello, Faz Escuro Mas Eu Canto

1.6.09

Música da Bahia do Amor



Se enche... mas o coração é o eterno sedento...

Vamp



e já lá vão 18 aninhos...

Só, a Vida.

Ó
o tempo suave...
o som da palavra doce...
a vida da gente gentil.
Ó
a Vida.

31.5.09

Sem Ti

Sinto falta do Teu silêncio.

Ouvir o Coração

Nesta vida raras foram as conversas que se deram sem erro, falta. Muitas foram as que em silêncio poderiam ter sido perfeitas: se não nos tivessem (des)habituado (ai de nós, tão desabitados) a ignorar o silêncio - a Vida.

30.5.09

29.5.09

Olhar Sertanejo

«(...) o sertão é uma visão.


O Sertão é o Mundo.»
À volta do livro de Guimarães Rosa Grande Sertão: Veredas

27.5.09

Não ser

«Ser haste, seiva, ramaria inquieta,
Erguer ao sol o coração dos mortos
Na urna de oiro duma flor aberta!...»
Florbela Espanca, Charneca em Flor (1930)

26.5.09

Até ao Fim

«A vida inteira dentro de mim.»
Vergílio Ferreira, Até ao Fim (última frase do livro)

25.5.09

Som do Verão



Música do Verão Passado - Futuro ?